Endereços

Matriz:

Av. Professor Mário Werneck, 120 1º andar - Bairro Estoril Belo Horizonte/MG - Brasil Cep 30.455-610 Telefone: +55 (31) 3055-5000

Escritório Vitória/ES:

Rua Afonso Pena, 20 2º andar - Bairro República - Vitória/ES - Brasil Cep 29.070-075 Telefone: +55 (27) 3026-0098

Deixe um Recado

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Assunto

Sua mensagem

Obs.: Por favor, NÃO utilize este espaço para enviar currículo. Para cadastro e visualização de oportunidades, clique aqui.

Como chegar?

  • open panel
  • Home
  • Notícias
  • TSA faz automação em off-shore na balsa guindaste lançadora da Petrobras

TSA faz automação em off-shore na balsa guindaste lançadora da Petrobras

 

Projeto de integração de monitoração de mais de 20 sistemas diferentes para a automação da BGL1.

“Trabalhar em Off-Shore e implantar um sistema de Monitoração para integrar mais de vinte sistemas diferentes para a automação da BGL-1 – Balsa Guindaste de Lançamentos”. Este foi o desafio para a equipe do projeto, revela o Coordenador Washington Luiz Piroli da Silva, que há um ano vive a experiência em terra firme e alto mar.

Este projeto vem agregar ao processo de modernização da balsa japonesa, que iniciou sua operação na década de 70. Hoje, a BGL-1 tem 144m de comprimento e 31m de largura, com a capacidade de acomodar 280 pessoas a bordo. Ao longo desses anos, vem se modernizando para se adequar aos novos desafios enfrentados a cada dia pela engenharia da Petrobras.

Para embarque e trabalho na balsa, os profissionais que compõem a equipe técnica envolvida no projeto participaram do Curso Básico de Segurança em Plataformas (CBSP), no Instituto de Ciências Náuticas – ICN, no Rio de Janeiro.

O Sistema de Monitoração desenvolvido pela TSA objetivou integrar e monitorar vários sistemas da BGL-1, que agora se encontra no estaleiro Inhaúma, na cidade do Rio de Janeiro. Segundo o engenheiro de Automação, Athos Alexandrino, o sistema facilita a agilidade de comunicação e otimização dos processos.

Na BGL-1 são realizados os serviços de instalações de dutos marítimos em profundidade, Içamento de módulos e plataformas, assim como a instalação de estruturas submarinas. Seu guindaste principal, o Clyde, tem capacidade de içar estruturas de até 1000 toneladas em condições especiais.

Com o novo sistema, o operador consegue visualizar e controlar a operação através de painéis que possuem alarmes e detectores de sinais programados para identificar falhas ou problemas na operação, permitindo ao operador atuar na origem do problema e propor soluções imediatas.

O projeto incluiu a monitoração dos sistemas: Geração de Energia (Caterpillar), Painéis Elétricos (CCM´s e CDC´s Schneider), Sistema de Guincho de Âncoras (SPECTRA), Sistema de Posicionamento Dinâmico ThrustMaster (Motores Caterpillar), Compressores Elétricos e Diesel (Atlas-Copco), Unidade de Tratamento de Efluentes (Hamworthy), Máquinas de Tração de Dutos (SAS), Sistema de Detecção de Incêndio (Autronica Fire and Security AS), Proteção Catódica (SACOR), Sistema de Tanques de Lastro e Diesel (XTronica AS), Sistema de Ar-Condicionado (AirMarine).

Segundo Rodolpho Melo, da área de Instrumentação/Automação da Petrobrás, o sistema que a TSA desenvolveu é de ótima qualidade e diferente dos demais, mantendo as principais filosofias e padrões.

Comments are closed.

© 2012 TSA